Quem Somos

Somos Marcos Attilio e Angela Mochi, brasileiros, winemakers, vinhateiros apaixonados um pelo outro e por tudo que fazemos.

My husband having fun

Meu marido se divertindo nos vinhedos

Vinho e comida sempre nortearam nossas vidas. Nossa história comum começa há mais de 20 anos atrás, quando ambos freqüentávamos as aulas na Faculdade de Engenharia de Alimentos da UNICAMP, no Brasil. A partir daí, Angela trabalhou na P&G e Marcos se especializou em fermentações. Mais tarde, tivemos restaurante, loja de vinhos e também uma importadora de vinhos. Levamos para os brasileiros vinhos de todo o mundo, e esta experiência nos permitiu desfrutar de muitos estilos diferentes de vinho e de inúmeras garrafas, manter em nossa memória aquelas que mais nos sensibilizaram.

Minha mulher “trabalhando”

Sempre fomos inquietos. Amamos novos desafios, e a criação de vinhos que reflitam a nossa personalidade veio como um próximo passo natural nesta estrada.
Assim, quando começamos a pensar a maneira como queríamos nossos vinhos, a primeira definição, a mais importante, e a que será sempre o nosso princípio orientador, é que estes vinhos nascem com características únicas, multi-facetados, porque assim como as pessoas, um vinho complexo é muito mais interessante. São vinhos feitos para a mesa, e o frescor é característica inseparável para acompanhar momentos descontraídos e uma boa comida.

Esta diretriz foi a bússola, e porque sabíamos que somente alcançaríamos este objetivo com uvas de alta qualidade, uvas com mais expressão, de amadurecimento lento, escolher o Vale do Casablanca para morar foi absolutamente natural.

Não usar em barricas novas nos tintos ou qualquer outro artifício destinado a esconder os méritos da natureza, é apenas a consequência dessa escolha.

Gerar lotes muito pequenos e limitados também faz parte da nossa filosofia, porque somente assim podemos cuidar pessoalmente e executar todas as etapas da vinificação, permitindo que estas características que tanto gostamos, possam tornar nossos vinhos tão singulares.

E por defender o conceito de que os vinhos devem ter um caráter pessoal, somos membros do MOVI, o Movimento de Vinhateiros Independentes do Chile.